Atualizado 02/08/2018

Agroindústrias darão férias coletivas em Chapecó e Quilombo

Em Chapecó 1,4 mil funcionários serão afetados

Reprodução
Reprodução

    A onda de férias coletivas nas agroindústrias de Santa Catarina continua neste mês de julho na unidade da BRF de Chapecó e na Aurora de Quilombo.

 

    Esta é a terceira unidade da Aurora que fica parada por um mês. O rodízio começou em Abelardo Luz, em junho, Guatambu, em julho e, a partir de quarta-feira, em Quilombo. A unidade tem 1,5 mil funcionários e abate 170 mil frangos por dia.

 

    A BRF também está em sua terceira unidade com férias coletivas. Em Maio 3,5 mil trabalhadores de Capinzal receberam férias. Em julho 1,7 mil funcionários da unidade de Concórdia pararam por duas semanas.

 

    Nesta segunda-feira foi a vez de 1,4 mil funcionários da unidade de Chapecó. Só que esta situação é mais grave porque depois das férias coletivas a empresa já anunciou que vai suspender os contratos de trabalho por até cinco meses, no sistema de lay-off.

 

    De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados de Chapecó (Sitracarnes), Jenir de Paula, os trabalhadores vão receber cerca de 80% do salário médio, com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhadores (FAT).

 

    Além disso outros 350 funcionários, do segundo turno de abate de perus, estão sendo demitidos.

 

    - Eu me preocupo pois tem o impacto na redução do salário dos trabalhadores, das demissões e isso vai reduzir o pessoal que puxa frango e ração, as pessoas que carregam aves, oficinas e e dos restaurantes – afirmou Jenir de Paula.

 

    Enquanto o abate de 220 mil frangos por dia fica suspenso os avicultores vão receber apenas uma verba de manutenção dos aviários, de R$ 88 por dia.

Fonte: NSC Total
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções