Atualizado 02/10/2017

Com gol no fim do jogo, Grêmio vence o Fluminense na Arena

Após pressão ao longo de todo o jogo, time de Renato garantiu a vitória no final do segundo tempo

Mateus Bruxel / Agencia RBS
Mateus Bruxel / Agencia RBS

A torcida precisou esperar até 41 minutos do segundo tempo para festejar na Arena. Depois de uma pressão que estendeu-se pelo jogo inteiro, Beto da Silva, a 41 do segundo tempo, marcou o 100º gol do Grêmio na temporada e garantiu a vitória por 1 a 0 contra o Fluminense, pelo Brasileirão. Se a distância do líder Corinthians segue grande, valeu pela alegria de um desafogo que chegou no fim. 

Ainda que sem meia dúzia de titulares, o Grêmio foi muito superior na primeira etapa. Superou o desentrosamento, tirou proveito de um adversário acuado e criou um número elevado de oportunidades para marcar. Em situação perigosa na tabela, o Fluminense lembrou muitos outros times que, neste ano, pisaram o gramado da Arena apenas para não ser derrotado. A troca de passes laterais, ainda sem seu campo, refletia isso.

O que se viu foi uma avalanche de ataques, iniciada a sete minutos. Arthur ergueu para a área, Ramiro ajeitou de cabeça e Jael desperdiçou, ao bater forte, mas muito alto. Aos 10, o estreanre Cristian arriscou de fora da área, rasteiro e Cavalieri fez a primeira das defesas que o converteriam, de forma disparada, no nome do jogo no primeiro tempo.

A mais extraordinária defesa do goleiro do Fluminense foi a 13 minutos. Patrick bateu escanteio, Jael ajeitou de cabeça na direção de Everton, que bateu de primeira. Cavalieri salvou de forma parcial e Everton, agora, de cabeça, voltou a concluir, para que o goleiro repetisse a defesa.

O chute de Scarpa, a 15 minutos, de longa distância e sem direção, foi uma breve pausa no sufoco que o Fluminense sofria. A 16 minutos, Everton cruzou da esquerda e Ramiro, por trás dos marcadores, arrematou com força. Cavalieri, como faria em toda a primeira etapa, foi monumental na intervenção.

Até Jael arriscou, em cobrança de falta, a 25 minutos, mas o chute  constrangeu uma torcida que até parecia disposta a entender suas dificuldades técnicas. O gol, enfim, saiu, a 34 minutos, em chute de Patrick, mas Léo Moura, que havia feito o passe ao meio, estava impedido.

O lance final do primeiro tempo foi uma repetição de tudo o que se havia visto até então. Em cruzamento na medida de Cortez, a 43 minutos, Patrick cabeceou para o alto e Cavalieri esticou-se e defendeu.

O segundo tempo foi aberto com um susto para a torcida. Aos seis minutos, Scarpa disparou de trás e serviu a Henrique Dourado, que venceu Geromel na corrida e chutou cruzado, para que Grohe repetisse Cavalieri e evitasse o gol. Logo em seguida, em cruzamento de Léo, Reginaldo cabeceou com perigo. No mesmo instante, Patrick, com dores musculares, foi substituído por Jean Pyerre. 

O Grêmio respondeu em falta batida por Ramiro, que forçou Cavalieri a brilhar outra vez. O que surpeendia era a nova postura do Fluminense, mais ousada, movido pela perigosa dupla Scarpa-Dourado e depois acrescida de Marcos Jr. Como o Grêmio também atacava, a partida ficou aberta, sujeita, a cada momento, a situações de perigo de parte a parte

Jailson, que havia entrado no lugar de Cristian, criou a chance seguinte,a  24 minutos, fazendo passe dentro da área para Everton, que teve o chute defendido por Cavalieri.

Um uma tarde de forte calor, o ritmo dos dois times começou a diminuir. Ao Grêmio, faltava força ofensiva e Renato trocou por Beto da Silva o pouco produtivo Jael, que saiu sob vaias. 

A resistência do Fluminense, quem diria, caiu pelos pés do peruano. A minutos, Everton fez novo passe da esquerda, a bola desviou em Frazan e Beto da Silva, com um toque sutil, venceu Cavalieiri, que, enfim, foi vencido. 

Fonte: WH3 Comunicações
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções