Atualizado 16/11/2018

Escola do Grêmio realiza avaliação para o futebol feminino em Chapecó

O objetivo é encontrar talentos e montar uma boa equipe para as competições em 2019

Fotos: Juliana Morgenstern
Fotos: Juliana Morgenstern

Neste sábado (10) no CT do Cella em Chapecó, a Escola do Grêmio de Chapecó realizou avaliações para o futebol feminino. As meninas passaram por testes de velocidade, resistência, técnica, fundamentos do esporte e disciplina, aspectos que todo atleta necessita para estar apto a competições pelo clube. As escolhidas irão para próxima etapa, no dia 25 de novembro em Porto Alegre no CT Cristal, onde serão avaliadas por olheiros do time gaúcho.

 

    Em busca do sonho de ser jogadora de futebol, as meninas ouvem frases como ‘futebol é coisa de menino’, mas elas não se intimidam com esse tipo de fala, pelo contrário, mostram não apenas que entendem do esporte, mas que dentro de campo batem um bolão. Essa é a realidade das meninas que lutam para realizar seus sonhos em avaliações como esta.

 

    O objetivo do Grêmio é montar uma equipe competitiva para as competições em 2019. Para isso o clube trabalha fortemente na estruturação e busca evolução nesta área. A avaliação em Chapecó é um exemplo disso, selecionar meninas que tenham potencial e desejo em ser uma atleta profissional de futebol.

 

    Alessandra de Lara, uma das meninas que participaram da avaliação conta que a paixão pelo futebol teve início em sua infância, quando além de torcedora ela começou praticar o esporte. Com o passar dos anos a vontade em se tornar jogadora profissional aumentou e Alessandra ingressou na turma do futebol feminino da Escola do Grêmio de Chapecó. A atleta já passou por outras avaliações e testes e vê como positiva a procura do Grêmio por atletas femininas. Ela acredita que “seria muito importante o futebol feminino ser valorizado em todos os lugares”, diz Alessandra.

 

    A valorização do futebol feminino também está presente na fala de Gilberto Winter que acompanhou a filha Jennifer de 12 anos. Ele relata que quando soube da avaliação pensou no mesmo instante em levar a filha, “ela joga todos os dias, a vida dela é futebol e sempre vamos dar o apoio que precisar para isso”. Apoio, essa é a palavra que falta na sociedade para o futebol feminino segundo Gilberto. O pai enxerga que o mercado profissional como “muito escasso e com falta investimentos na modalidade feminina”, e mesmo diante desses obstáculos, Gilberto seguirá na torcida e na busca em realizar o sonho da pequena Jennifer de ser uma atleta profissional.

 

    A Escola do Grêmio de Chapecó acredita que o futebol é um espaço igualitário e atualmente conta com uma turma de futebol feminino. O coordenador técnico, Vinicius Brancher, ressalta que a Escola procura dar as mesmas condições para a prática do esporte tanto para as equipes masculinas quanto a feminina. Mas essa realidade não condiz com a visibilidade do futebol feminino no âmbito mundial, “ainda falta muito apoio, investimento, um campeonato feminino televisionado, patrocinadores e igualdade salarial para as atletas e para os profissionais”, ressalta.

    

Se fora do campo falta visibilidade, dentro dele os profissionais da Escola do Grêmio de Chapecó estavam de olho em cada movimento das atletas na avalição que buscou selecionar meninas na faixa dos 17 anos. Após a atividade desenvolvida, Vinicius, conversou com as atletas e deu um feedback individual do que cada uma precisa melhorar e que deve ser explorado para evoluir.

 

    Na próxima semana esses pontos serão trabalhados visando as competições que terão pela frente e a próxima etapa no dia 25 de novembro em Porto Alegre no CT Cristal, com os avaliadores do Grêmio de Porto Alegre. Neste dia será realizado um amistoso entre as atletas da capital gaúcha e as meninas de Chapecó. As selecionadas farão parte do plantel tricolor para a próxima temporada.

Fonte: ClicRDC
© Copyright 2017 - Rede Nossa Rádio, Todos os direitos reservados Desenvolvido por HZ Soluções